O PORTAL - UFOLOGIA, FILOSOFIA E ESPIRITUALIDADE

Da série "O portal" N.7
press to zoom
O portal
press to zoom
L'Ange (II)
press to zoom
Série "O portal"
press to zoom
Da série "O portal" N.8
press to zoom
Da série "O portal" N.6
press to zoom
Da série "O portal" N.2
press to zoom
Da série "O portal" N.13
press to zoom
Da série "O portal" N.12
press to zoom
Da série "O portal" (n.3)
press to zoom
Da série "O portal" N.1
press to zoom
Da série "O portal" N.11
press to zoom
1/2

O PORTAL

 

Série produzida em painéis de médios e grandes formatos, que tem como ponto de partida os assuntos ligados a ufologia, filosofia e espiritualidade. O motivo e inspiração para desenvolver esta série vem da minha curiosidade sobre os assuntos em questão. Sempre tive curiosidade em saber mais, além do que já nos contaram sobre o universo em que vivemos, de onde viemos, para aonde vamos e muito mais. Desde a minha adolescência, tenho despertado dentro de mim um profundo interesse por estes assuntos. Tenho buscado através da arte expressar a minha visão.

 

Em 2018, recebi o Prêmio Aquisição na II Bienal das Artes do SESC/Brasília/DF, com a tela “O grande portal”, que faz parte da série mencionada e que pertence à coleção do SESC/ DF.

 

 

PORTAIS E MUITO MAIS ALÉM

Místico. Imaginativo. Onírico. Espiritual. Racional. Preciso. Lógico. Producente. São conceitos que se adéquam à obra e o seu autor: Marcos de Oliveira. E, lá se vão 6 ou mais anos de conhecimento e convivência. Desde logo a sua obra impressionou-me vivamente quando do nosso trabalho conjunto numa exposição na Caixa Cultural de São Paulo. Na época convivi com os seus anjos, santos e guerreiros. emocionei-me com a sua feitura e procedimentos, rigor da composição, linhas perfeitas, cores adequadas e incríveis. Mas, devo confessar que o que mais me chamou a atenção foi uma multidão de figuras, símbolos, elementos incrustados de religiosidade, misticismos, não raros de encontrar na cultura e crença do nosso povo do nordeste.

 

E vejo que Marcos continua a sua busca constante pelo campo do não conhecido, do imponderável, do espiritual, do imaterial. E vejo ainda que o rigor na composição, formas e linhas se aperfeiçoaram ainda mais. Como todo o ser consciente e espiritualista Marcos atingiu nesse vórtice de símbolos, formas e cores uma linha entre o real e o insólito. Encontrou “portais”, previu “sinais” e celebrou “avistamentos”. No seu e no nosso imaginário os portais dariam acesso a outros planos (fora da terra ou dentro de nós mesmos), outras dimensões, outros níveis de consciência. As transposições dos portais nos revelam sinais e nos proporcionam avistamentos de “seres” ficcionais, composições lúdicas como peças chaves para entendermos e vivenciarmos a sua criatividade. O artista nos possibilita o acesso ao seu mundo dimensional através de construções geometrizadas e rigoroso uso de formas, tintas e cores. Um mundo de quimeras tal qual na mitologia grega.

Um mundo que desperta em nós a busca pelo desconhecido, pelo misterioso, pelo secreto e muito mais além.


(*) Elvira Vernaschi

Curadora, historiadora e crítica de arte
Membro da ABCA e AICA – Associações Brasileira e Internacional de Críticos de Arte
São Paulo, Julho de 2018.